sábado, maio 13, 2017

Plasma Puncher


Sempre é uma grata surpresa ver a indústria nacional produzir jogos tão interessantes que não deve nada a indústria internacional.

Plasma Puncher foi feito pela desenvolvedora Tomato Trap por dois cearenses e lançado essa semana no Steam.

O jogo pode ser considerado um beat 'em up onde você joga como uma célula branca e o objetivo é derrotar uma infecção no organismo. Ondas e mais ondas de inimigos vão surgindo e a medida que vamos derrotando os inimigos é possível comprar power-ups para melhorar os golpes e a vitalidade do personagem.

Fazia muito tempo que eu não jogava um jogo do início ao fim sem parar. Levei um pouco mais de 2 horas para terminar e foi muito prazeroso o tempo que passei com ele. O preço de R$7,99 é altamente recompensando pela diversão que o jogo traz.

Joguei no modo normal e mesmo nesse modo o jogo é desafiador. Existem outros modos mais difíceis para quem quiser um desafio a mais.

Altamente recomendado, não apenas por ser feito por brasileiros, mas também por ser diversão garantida por algumas horas!


domingo, maio 07, 2017

Metroid: Other M


Metroid é uma série que tenho uma relação de amor e ódio!

Eu amo o estilo de jogo que esse série criou, além da personagem ser super cativante e a ambientação dos jogos serem excelentes. Entretanto, nunca consegui terminar nenhum jogo dessa série.

Já joguei o Metroid do NES, o Super Metroid do SNES, o Metroid Prime do GameCube, o Metroid Prime Hunters do DS, entretanto nunca consegui terminar nenhum deles. Seja pela dificuldade do próprio cenário onde fiquei perdido sem saber para onde ir (NES e do SNES) ou pela dificuldade dos chefes principais (GameCube e DS).

O que eu cheguei mais longe, creio que parei no último chefe, foi o Prime Hunters do DS. Mas a dificuldade era tão grande, que se tornou frustrante tentar derrotar o chefe, chegando a doer minha mão de tanto que eu ficava tenso com o DS.

Mesmo assim não desisto dessa série e iniciei um novo jogo da série, o controverso Other M lançado para o Wii.

Ele foi criticado por dar uma ambientação mais cinematográfica com a Samus falando a todo o momento e por ser um pouco linear, fugindo do tradicional gameplay de labirinto.

Mesmo com essas críticas eu adorei o jogo e finalmente consegui terminar um jogo da série!

Os gráficos estão excelentes e como quase todo o jogo se passa em 3ª pessoa podemos ver a Samus em todo o seu esplendor. Poucas vezes precisamos ficar na visão de 1ª pessoa e mesmo nesses momentos o desafio é recompensador.

Depois de terminar meu 1º jogo da série a vontade é de voltar para os outros da série. Mas a minha falta de habilidade nesses jogos me faz pensar duas vezes...

segunda-feira, maio 01, 2017

Shovel Knight: Specter of Torment


É hora de voltar para o DLC gratuito do excepcional Shovel Knight! Gratuito para aqueles que compraram o jogo no início, como eu.

Aqui temos um prequel do que acontece no jogo principal, narrando a aventura de um dos cavaleiros que nós lutamos contra. A história é até interessante, mas o que pega mesmo é a jogabilidade.

Novamente remetendo à grande escola de 8 bits, temos aqui um excelente jogo de plataforma com uma trilha sonora impecável. O jogo tem uma dificuldade bem balanceada e a evolução do personagem com as habilidades que vamos comprando ao longo do jogo faz com que joguemos fase após fase sem querer desgrudar do console.

Não joguei o 1º DLC que saiu em 2015, mas esse está mais do que aprovado!