sábado, abril 30, 2016

Saldo Fim de Mês da Coleção de Jogos


O mês foi muito bom com 12 novos jogos na coleção!

O Playstation 3 foi a grande plataforma do mês com aquisições exclusivas do console. Fui atrás de jogos que só foram lançados no PS3 mesmo que não sejam tão bons. Heavenly Sword é um "God of War" genérico com um boa estrutura narrativa. Killzone Trilogy são os três primeiros jogos da franquia. Resistence também foi uma franquia exclsuiva de FPS que também não acrescenta muito ao estilo.

Para o Playstation 4 comprei mais um jogo físico, o inFamous 3 e o Zombi que era exclusivo do Wii U foi também lançado para o PS4 e veio na Plus desse mês. O Bully e o Manhunt são clássicos do PS2 que foram lançados para o PS4 e aproveitei comprei numa promoção. São clássicos que nunca tinha jogado e agora terei a oportunidade de testar.

Para o PS Vita peguei um jogo também gratuito na Plus que é apenas legal.

Agora a grande surpresa do mês foi o Shadow of Mordor que comprei numa excelente promoção no Steam e realmente é um jogaço!! Esse jogo faz jus mesmo a fama que teve na época de o melhor jogo já lançado sobre o Universo Senhor dos Anéis.

sábado, abril 23, 2016

Projeto Sala Gamer: Quadros Decorativos


Dei o pontapé inicial no projeto da Sala Gamer!

Desde que comecei a colecionar jogos eu penso onde eu colocaria todos os consoles e jogos. Cheguei a cogitar um quarto, porém pela atual configuração dos quartos e por dar um maior destaque à coleção a escolha ficou mesmo na sala principal da casa.

Há quase dois anos vinha comprando quadros com tema gamer no site TeeNow e chegou a hora de pegar os 11 quadros que estavam lá e juntar com os 4 que já estavam pendurados na sala e decorar toda a parede.

Então nesse primeiro momento foi a hora da decoração e em breve será a vez da estante principal onde ficará os consoles.

Ainda terei um bom caminho pela frente construindo as duas estantes laterais e aumentar o sofá, mas pelo menos pude iniciar o projeto que, desde a construção da casa, estava em gestação.



quarta-feira, abril 13, 2016

Bruce Dickinson: Biografia Não Autorizada


Bruce Dickinson foi o primeiro e talvez único vocalista que realmente virei fã.

Quando eu conheci o Iron Maiden ele para mim era a personificação da banda e achava que era o líder supremo. Logicamente que quando adentrei na história da banda vi que estava errado, mas a minha admiração pelo vocalista nunca diminuiu.

Sua carreira solo eu acho fantástico com álbuns maravilhosos e músicas que Steve Harris & Cia adorariam ter no Maiden e quando ele voltou à sua principal banda em 1999 eu fui acometido de uma das minhas maiores felicidades até então!

O livro escrito por Joe Shooman não é excelente, mas cumpre um bom papel de criar um panorama de como surgiu essa lenda e os caminhos que ele seguiu.

Às vezes os depoimentos das pessoas que o jornalista foi atrás se tornam muito longos fugindo até um pouco do personagem principal do livro. Para quem não conhece nada da história do Bruce, o livro se torna um pouco chato, pois são citados muitos nomes que não irá fazer muito sentido para leigos em sua história.

Por se tratar de uma biografia não autorizada, até que o trabalho foi competente e vale a leitura para quem é fã do vocalista.

domingo, abril 10, 2016

Gravity Rush


E hoje foi o dia de terminar mais um exclusivo da Sony e que foi considerado pela Famitsu o melhor jogo do PS Vita.

Gravity Rush é um excelente jogo de ação com uma jogabilidade que no início estranha mas que no decorrer da aventura nos acostumamos e se torna até orgânico a maneira como controlamos a personagem principal Kat.

O poder de Kat é controlar a gravidade e por isso ela pode voar e levantar objetos ao seu redor. A maioria das batalhas acontece no ar contra uns monstros chamados Navi, onde devemos mirar em seus pontos fracos e acertar várias voadoras para derrotá-los.

O enredo me pegou e a personagem é extremamente cativante, além do jogo ter belos gráficos em cel shading.

Logo que comprei o Vita eu comecei a jogá-lo, mas o deixei parado um ano sem saber que faltavam apenas 2 capítulos para terminá-lo.

Aproveitando uma noite de insônia que tive hoje, não precisei mais do que uns 30 minutos para finalizá-lo e comprovar que Gravity Rush é o jogo que deve estar na prateleira de todos os donos do portátil da Sony!


sábado, abril 09, 2016

Post Número 400!!


Dessa vez demorou mesmo!!

Se na época de quando escrevi o meu 300º post eu já tinha demorado, dessa vez bati o recorde!

Fazendo as contas;

  • Para o 100º post levei 1 ano e 9 meses
  • Para o 200º post levei 1 ano e 7 meses
  • Para o 300º post levei 2 anos e 9 meses
  • Para o 400º post levei 3 anos e 3 meses
As publicações foram de Janeiro/2013 a Abril/2016 e ao longo desse período foram 6.700 visualizações, sendo que o tráfego foi gerado 76,5% no Brasil, 9% nos EUA, 2% na Rússia e o restante em vários outros países. Em relação as cidades brasileiras tive São Paulo com 16,8%, Brasília com 11% e Rio de Janeiro com 4,2%.

O post mais acessado foi de maio/2015 sobre a antena externa para melhor o sinal de 3G que comprei para o Vivo Box. Teve um post também de maio/2011 sobre o surgimento de Brasília que teve um bom acesso. Nesse período de quase 3 anos e meio fiquei um tempo sem coletar informações, pois a ferramente de análise estatísticas do Google mudou e fiquei vários meses sem ligar o blog à nova ferramenta.

O ritmo de publicação aumentou consideravelmente desde o ano passado. Com isso espero que a publicação do 500º post não leve mais 3 anos...

quarta-feira, abril 06, 2016

Killzone: Mercenary


Finalmente finalizo meu 1º jogo no PS Vita e não poderia deixar de ser um aclamado título pela crítica e considerado o melhor FPS já lançado para um portátil.

Killzone: Mercenary é um FPS de primeira linha que não deve em nada ao gênero e bate de frente com os jogos de console de mesa. A jogabilidade é fluida, fazendo um bom uso da parte traseira tátil do portátil.

O jogo é todo dublado em português e até gostei do trabalho de dublagem, fazendo com que a imersão seja maior ainda comparado com um jogo em inglês. Por mais que eu entenda inglês razoavelmente, nada melhor do que jogar um título na nossa língua.

O jogo não é difícil e nem muito fácil, ou seja, uma dificuldade bem balanceada com check-points estratégicos que não deixa o jogo frustrante. Empaquei em algumas partes, mas uma leve persistência foi suficiente para passar desses desafios.

Há uma ótima variedade de armas e acessórios que deixa o jogo com um gameplay bem variado. Como o jogo não é muito longo, ele não dá aquela sensação que estamos fazendo as mesmas missões que acaba cansando para quem gosta de jogos do estilo.

É um jogo recomendadíssimo e compra obrigatória para quem tem um PS Vita!


terça-feira, abril 05, 2016

Game Collector: Colocando Ordem na Coleção


Já tem alguns anos que utilizo a solução de catalogação de CDs da Collectorz e hoje senti necessidade de comprar também o seu programa para catalogar jogos.

A coleção aumentou sem eu perceber e quase me vi comprando essa semana um jogo que eu já tinha!

Depois de tudo devidamente catalogado, fiz algumas observações interessantes. Primeiramente que o PC virou minha plataforma principal, seguida pelo PS3 e pelo PS Vita. O PC aparece em primeiro, pois comprei muitos jogos no Humble Bundle e nos consoles da Sony é explicado pela assinatura da PS Plus que todo mês a Sony nos oferece de graça alguns jogos.


Tanto é que a grande maioria dos meus jogos está no formato digital, isto é, está ou na Steam, ou na PSN ou no Virtual Console da Nintendo. O 2º formato que mais tenho jogos é da PS+ que é exatamente a assinatura anual que tenho com a Sony. Pago US$50 para manter essa biblioteca de jogos e que pode aumentar todo mês caso tenha algum jogo que me interessa da lista. Deixei eles separados da categoria digital, pois se um dia parar de pagar a anuidade eu perco todos esses jogos e da categoria digital não, pois estes foram comprados mesmo. Mídia física tenho um volume considerável também, com destaque para o Wii U e o Wii que tenho bastante jogos. Cartucho é basicamente do Nintendo 3DS.


A minha paixão pela Nintendo é traduzida no ranking dos desenvolvedores dos jogos que tenho. É praticamente a Big N dominando a minha coleção com a Valbe bem atrás, mas num sólido 2º lugar e depois tem o restante.


E por último as franquias que mais tenho jogos e já esperava que The Legend of Zelda ia estar em primeiro, pois passei os últimos anos procurando por jogos da série e meu objetivo maior será um dia ter jogado todos os jogos da série. Já estou bem adiantado, mas ainda falta muito jogo pela frente.


sábado, abril 02, 2016

God of War


Um dos motivos de ter comprado um PS2 foi ter a possibilidade de jogar alguns clássicos que não joguei na época. Um desses clássicos seria a franquia God of War que nunca joguei nenhum.

Acabei por não utilizar o meu PS2 para jogar o 1º jogo da franquia e sim o PS Vita, aproveitando uma promoção que teve na PSN no pacote com os dois primeiros jogos.

O jogo é bem desafiante, me fazendo até empacar em alguns puzzles que exige uma destreza bem alta para passar.

Jogar na "telinha" do Vita foi bem interessante, contribuindo para uma imersão bem legal, pois a tela do aparelho fica a poucos centímetros de nosso olhos.

Como disse, comprei o pacote com os dois primeiros jogos e o III já está ali na estante esperando a sua vez de ser experimentado!